Siddhartha fala Sobre o limite da dor física

A dor física

Siddhartha responde a pergunta sobre o limite entre a dor física e o respeitar os limites do corpo.

Este discurso é um trecho extraído de um discurso de Siddhartha, proferido durante o 8° Festival Delphis Universalis de meditação, realizado em Curitiba/PR.

Um participante sentindo muita dor física queria saber até onde poderia ir, pois às técnicas de meditação ativas e semi-ativas requerem bastante disposição do corpo.

PERGUNTA: QUAL É O LIMITE ENTRE FUGIR DA DOR E RESPEITAR SEU LIMITE?

Existem dores físicas que são autênticas, outras são psicossomáticas, mas independentemente de qual seja seu caso a dor está aí!

Siddhartha não nos dá um remédio para acalmar a dor, apenas nos convida a observar qualquer dor. Aprender a respeitar o fato de que a dor está presente. E a partir disso encontrar o seu verdadeiro limite.

Se conseguir ir além do limite estará ganhando, mas se ir além machuca então saberá que é hora de parar.

Siddhartha diz que apenas aquele que habita esse corpo sabe o que está vivendo ou não. Portanto, apenas este sabe o que deve ou não deve fazer.

Cada um vive em seu próprio corpo, portanto quem decide quando é hora de parar ou hora de avançar é você. Aquilo que acreditar será a sua verdade.

Neste discurso, Siddhartha menciona também que todas as pessoas terminais que ele cruzou caminho nunca reclamavam da dor. E para ilustrar ele conta a história de uma tia muito próxima dele.

Você é tudo aquilo que pensa ser, tudo aquilo que acredita ser, tudo aquilo que te disseram que você era! Tudo isto e mais do que isto, você é! Mas, na verdade, “VOCÊ” não existe, portanto, tudo isso que acredita ser não passa de uma ilusão, não é verdadeiro. A prática da meditação é o caminho rumo à liberdade da ilusão.” Siddhartha

FICHA TÉCNICA:

Música:  Flauta – Siddhartha / Edição e Mixagem – Gusta Proença

Vídeo: Gravação – Aiyshah Dadam / Edição – Aiyshah Dadam

Duração: Tempo total – 10:23 minutos.

Gravado: Realizado Hotel Paraná Golf – São José dos Pinhais -PR durante  o 8º Festival  de Meditação Delphis Universalis

Voz: Leitura Texto – Shanti Bertone